sexta-feira, 7 de novembro de 2008

O Imperador Smith

Aquela conhecida máxima «a vida a imitar a arte» está cada vez mais presente no nosso país. Em Portugal, porém, como somos um povo que gosta de adaptar tudo ao nosso estilo peculiar, a vida tende mais a imitar a Banda Desenhada. O que calha bem, tendo em conta que já não nos falta muito para sermos uns autênticos bonecos animados.
Lembram-se do Lucky Luke? Sim? Não? Não interessa. Num dos livros do Lucky Luke – O Imperador Smith – Havia um certo Juíz, em Grass Town , que exasperava o cowboy solitário apenas porque, ao julgar os maiores crimes cometidos pelos piores bandidos, deixava-os sempre sair em liberdade com uma simples admoestação, que, consistia numa palmadinha na face do meliante acompanhada do embalo – Vá lá seu traquinas! - É claro que os ladrões rebolavam-se contentes pelo chão, enquanto que Luke espumava de raiva pela boca.
Conseguem ver as semelhanças entre a arte de Morris e Goscinny e a vidinha do nosso paraíso(fiscal) à beira-mar plantado? É claro que conseguem.
Aqui também os maiores bandidos cometem os maiores crimes e safam-se sempre com uma palmadinha nas costas (cá está a adaptação portuga). O embalador – Vá lá seu traquinas – é substituído por um – Pronto, pronto, vá-se lá embora - enquanto que um advogado de defesa promete sempre – Vamos recorrer!.
Tudo acaba bem, como nas histórias de fantasia da Banda Desenhada: A senhora tinha um saco azul? Defraudou a Câmara, fugiu do país? Pronto, pronto(palmadinha nas costas), vá-se lá, embora e porte-se bem. O quê, o senhor comprava árbitros para adulterar jogos de futebol? Pronto, vá-se lá embora, não há-de ser por isso que nos vamos chatear. Os senhores faziam o quê com as crianças? Palmadinha nas costas...etc,etc,etc,.
Há quem compare esta atitude com a de Cristo, que também perdoava tudo e todos. Eu continuo achar que somos mais parecidos com o Imperador Smith, que no livro era um senhor baixinho de bigode, completamente maluco e com a mania das grandezas.
RAC

10 comentários:

Anónimo disse...

ya! lembro-me do imperador Smith, tava sempre a mexer nas orelhas do pessoal. Era uma especie de Napoleão do Faroeste. A Fatima Felgueiras tambem precisava que lhe afagassem as orelhas... com um martelo

Anónimo disse...

essa história da festa na orelha não me lembro mas não é no livro do imperador smith. é uma história onde entram os dalton e são eles que estão sempre a levar a esfraga na orelha. devias ler a coleção outra vez, mas a comparação com o nosso país é boa.

Post Mortem disse...

ò sr. engenheiro, isso é uma teima?
o sr. é que devia consultar a sua colecção. Logo na primeira página está o imperador Smith a afagar a orelha do Lucky Luke. A acompanhar o "afagamento" vinha a expressão:
"Estamos contentes convosco".

Anónimo disse...

os livros infantis não são de facto o meu forte.

Anónimo disse...

saco azul,impune,arbitros corruptos,impune,violadores de crianças,impune,gangs armados,impune...o puto k fez downloads de musicas na internet prisão e computador apreendido...é a justiça do nosso lindo pais...

Anónimo disse...

a expressão "vá lá seu traquinas" era dita por um juiz benevolente, e não por esse imperador smith.
o imperador de dizia essa do "estamos contentes..." são de facto histórias diferentes.

Anónimo disse...

nadinha. era o imperador smith que dizia vá lá seu traquinas.

Jaffo Dias disse...

Eu gostava mais do "Billy the kid"

Anónimo disse...

e o jesse james tb era bem bacano

Anónimo disse...

este lucky luke não é o amigo do asterix?
alguém me sabe dizer quem é um e outro sff.