sábado, 27 de março de 2010

Talking to myself

Há algo de especial nas pessoas que falam sózinhas, há pessoas que conseguem manter todo um dialogo com elas mesmas, perguntas, respostas, risos, conclusões... tudo o que normalmente se consegue através do diálogo e partilha de ideias com outras pessoas mas sem o risco de sermos contrariados.

Tenho reparado que grande parte destas pessoas tem frases tipo que soltam para o ar, coisas tipo: "Eu não sou maluco, querem é fazer-me de maluco mas não conseguem", autenticas pérolas que nós, pessoas que falam umas com as outras devíamos analisar e tentar chegar a conclusões:

1. "Eu não sou maluco" - OK, ninguem te estava a dizer que eras, mas a falar sózinho não restam grandes duvidas.

2. "Querem é fazer-me de maluco mas não conseguem" - Quem? Os duendes verdes que andam atrás de ti?

Consigo perceber que com este tipo de conversas ninguem se interesse em falar com pessoas assim o que as leva a falarem com elas mesmas, aliás consigo perceber todo o conceito, ás vezes falar com outras pessoas é o mesmo que estar a falar com um muro pelo qual passamos todos os dias, há pessoas que só falamos por causa de convenções socias e há ainda o irritante "bom-dia" que temos de dizer mesmo que seja um dia de merda.

Há pessoas que falam demasiado, há pessoas mais reservadas, mas no fundo o que torna toda esta teoria inválida é que todos temos as nossas próprias convicções e verdades e muito raramente nos deixamos convencer por alguem do contrário, o que me leva a pensar se não andaremos todos a falar sózinhos uns com os outros.



RV

domingo, 14 de março de 2010

O homem que respirava demasiado alto

Já há muito tempo que não acontecia nada nas minhas viagens matinais de autocarro que justificasse partilhar mas eis senão quando aparece um gajo que respirava demasiado alto.

Nunca tinha pensado nisto, até agora, para mim nem associava nenhum som ao acto de respirar mas ter conhecido aquela personagem acrescentou mais essa dimensão aos meus sentidos: o som de respirar.

E como respirava aquele senhor! ouvia-se bem que ele respirava, fazia questão que isso fosse notado, aquele statement "oiçam o meu respirar" fez me pensar que não iria gostar nada de por exemplo ficar encravado num elevador com aquele personagem enquanto ele continuava a aspirar e exalar o ar furiosamente como se não houvesse amanhã.



Utente Fluorescente

sexta-feira, 12 de março de 2010

quarta-feira, 10 de março de 2010

Orgia paroquial

A religião há muito tempo que tenta opinar sobre o sexo. Primeiro diziam que a masturbação cegava... bem... se isso fosse verdade eu estava a escrever este texto em Braille, depois há aquela história pouco clara do Zé carpinteiro ser casado com a Maria e ela ser virgem e depois engravidar por ver uma estrela, ha tambem um filme com a Ana Zanatti sobre freiras fufas e mais recentemente o papa veio condenar o uso do preservativo quando a SIDA mata milhões de pessoas.

Parece-me que há aqui aquela situação de falar sem saber muito bem sobre o que se está a falar, aliás como é que alguem que faz um voto de celibato está creditado para falar de sexo? Se o Ron Jeremy ou o John Holmes fossem padres talvez teria algo a ouvir (e aprender) quando estes falassem de sexo agora o Bento 16... convenhamos que não deve ser um iluminado na matéria... Tambem há aquela questão de deixarem velhas beatas e decrépitas com os cerebros lavados pela eucaristia votar em questões como o aborto... em que é que isto as afecta? tem ovários ao menos?

Uma coisa que me faz confusão é: os padres fazem voto de celibato, será que passam a vida inteira sem se esporrar? custa-me a acreditar, acho que a maior parte deve preferir mandar a sua gaitada ou assediar uns putos das suas dioceses e depois auto-flagelarem-se (sim, porque deus vê tudo)

O próprio Jesus... será que chegou a mandar uma foda? Podemos especular mas nada vem mencionado nem no antigo nem no novo testamento.

Agora recentemente na Irlanda começaram a rebentar alguns escandalos "casa pia style" envolvendo padres e crianças com violações pelo meio e acho que é no mínimo de bom tom perguntar: Até quando estes tarados vão continuar a opinar e condicionar quem fodemos, se usamos preservativo ou nos dedicamos á gaitada?

Tenho dito.




Zé da Gaita