quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

...Sobre alibis

Sempre vi o álibi como a peça fundamental para se fazer algo impunemente, a pedra angular do crime perfeito. Quando se premedita uma acção que vai ter consequências nefastas ou lesivas para outrem, se há algo que convém ter com relativa qualidade é um álibi. E não se trata de desculpas merdosas do género: “pois, esqueci-me que não posso andar a dar tiros nas pessoas, desculpa lá mas podes pôr um olho de vidro e até ficas mais giro”. Falo de algo muito mais consistente em que apesar de se ter cometido uma falta grave para com os nossos códigos sociais vigentes, consegue-se convencer toda a gente de que seria impossível sermos nós os prevaricadores. Dito isto há uma pessoa que seria sem dúvida merecedora de “o Óscar do álibi” se existisse semelhante prémio a atribuir. E ele é... Manuel Abrantes! Pois é, este senhor foi capaz de guardar um simples bilhete de cinema desde Fevereiro de 1999 até aos dias de hoje, já porventura imaginado o quão útil seria num caso de umas tais brincadeiras de “empurrar rolinhos de carne”,com uns miúdos de uma tal instituição. È o que se pode chamar: uma pessoa pervertida... perdão, precavida. Este homem é um génio, um verdadeiro Einstein do álibi. Assim e inspirado por este verdadeiro mestre, decidi a partir de agora guardar todos os preservativos que utilizo. Pois é nunca se sabe quando serão necessários num caso de falsa paternidade.
Eurico Naça

3 comentários:

Anónimo disse...

fica aqui a minha homenagem ao rei da premeditação.
ganda manel

Anónimo disse...

este homem é especilista em alibibis
parte da acusação do caso "casa pia"
dizia:

- Foi ali (casa pia) que bibi violou todas aquelas crincinhas.

ali+bibi = alibi

Paco Naça (irmão do Eurico) disse...

bem observada essa do ali bibi.
boa.