quarta-feira, 29 de abril de 2009

Pita Shoarma

Tu gostas é de beber, és um bêbedo!”… e pensei eu “Então e tu? Gostas de foder, és uma puta!!!”

Puta ou não, mais parecia uma acompanhante de luxo armada em dona de casa, a xingar-me os cornos porque lhe cheirava a álcool e a tabaco e tinha lavado a roupa. Ao que se chega por decisões atamancadas e relações amorosas mal resolvidas.Fez-me pensar que, de facto, há situações chatas para as mulheres mais velhas, que estão “encalhadas” e querem à força um homem e uma vida “normal” pois o tempo urge e só se deve ter filhos até aos 35.

É fácil conhecer um puto tenrinho com uma casa e um carro que tenha um salário mais ou menos, e que se fascine por quem lhe lamba a pila. É fácil ir morar com ele, oferecer-lhe o ânus e pensar que, enfim, lhe vai ensinar umas coisas e ser feliz para sempre. O problema é que os putos em geral gostam de foda, mas adoram rambóia e cópo-fonia. Nos primeiros 2 meses elas até curtem a onda mas depois calçam as pantufas, só se arranjam para ir trabalhar, não se penteiam, e andam de fato de treino pela casa… e os putos não gostam disso. Esta parte toda a gente já sabe. O pior é que pouco a pouco, o sexo (anal ou não) começa a deixar de fazer parte do quotidiano do casal: “agora não me apetece, estou cansada…” Quantos de nós já não ouvimos esta frase? Quantas anedotas não existem sobre isto? Aí é que a porca torce o rabo (a porca ou uma gaja boa que apareça com vontade de levar com ele…).

Por fim, no redemoinho das lamúrias dá-se a dolorosa, mas necessária, separação. Cada um para seu lado. A mulher sente-se cada vez mais encalhada, mas desta vez como uma orca que mordeu o leão-marinho mas morreu na praia. Só lhe restam as memórias dos coirões ricos que comeu anteriormente, e da boa vida que levava quando estava em casa dos pais. A morte é lenta e o balanço são mais 2 ou 3 aninhos em cima com a roseta ainda mais dilatada. Que experiência de vida!

Vá lá que para um gajo a coisa é mais simples. Se as mais velhas não dão, há que voltar à maneira clássica e tradicional de fazer as coisas:
Um gajo é sempre um pai para uma pita!(e um bêbado para uma encalhada).




Julio (apenas Julio)

9 comentários:

Anónimo disse...

julio seu desbravador de cotas maluco.
uma mulher com experiência é outra coisa

Anónimo disse...

depois dos serenais com vinho ainda consegues dar conta das quarentonas?
ou serão cinquentonas?
seu gerontófilo!

Jaffo Dias disse...

O texto dos drunfos e o do sexo com pessoas "ligeiramente mais velhas" foram escritos por pessoas diferentes, o que não quer dizer que um drunfado não possa acumular "funções" e ter uma obsessão por cotas.

Anónimo disse...

peço desculpa por não ter reparado na etiqueta: convidados especiais.

toni demais disse...

o júlio é um duro!

Anónimo disse...

O q é um Pita Shoarma?

bicho domato disse...

texto do caraças... elas no fundo só querem o mesmo que nós, ou seja querem-se sentir beliscadas. por vezes a escolha não é a melhor, mas vale a tentativa!

Anónimo disse...

cotas em fato-de-treino pela casa?
extravagante experiência passaste meu velho!

barrosíadas disse...

É destes testemunhos de vidas reais que se faz um blogue de sucesso. São testemunhos destes que nos fazem sentir parte de um equipa, uma horda, um "nós" e um "elas".
Como é que um gajo não há de ser conservador, se a realidade o é? Criar outras realidades? Mudar? Guardo esses impulsos pseudo revolucionários para quando obtenho prazer das drogas, forçando-me a consumir mais. Já toda a gente teve vontade de fazer "o mito" (aquele canhão "deste" tamanho). Julio, tu sabes.